Loja Contatos Videos Fotos Discografia Biografia Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com


SILVER MAMMOTH: CONFIRMADO SHOW EM SÃO PAULO EM NOVEMBRO

A banda Silver Mammoth irá se apresentar dia 12/11/2017 às 19 horas no Wild Horse Music Bar, localizado na Alameda dos Pamaris, nº 54.

Os ingressos antecipados custam R$20,00 (somente entrada) ou R$30,00 (ganhe 1 CD do Silver Mammoth a escolher e concorra a 1 unidade do “Silver Mammoth SINGLES” Ed. Limitada em vinil autografado).



















CONFIRA VIDEOCLIP OFICIAL DA MÚSICA COUP TO THE END


SILVER MAMMOTH: LANÇAMENTO DE NOVO SINGLE

No dia 05 de Setembro acontece o lançamento mundial de “Coup to the End”, o Lado B da Edição histórica do vinil “Singles” da banda Silver Mammoth.

O vinil “Singles” vem em uma edição limitadíssima e já se encontra disponível a venda. Compre já o seu através do email: contato@silvermammothband.com ou pela nossa loja http://silvermammoth.loja2.com.br/























CONFIRA VIDEOCLIP OFICIAL DA MÚSICA LET ME HIDE YOU


SILVER MAMMOTH: LANÇAMENTO DE NOVO SINGLE

No dia 01 de Agosto acontece o lançamento mundial de “Let me Hide You”, o Lado A da Edição histórica do vinil “Singles” da banda Silver Mammoth.

O vinil “Singles” vem em uma edição limitadíssima e já se encontra disponível a venda. Compre já o seu através do email: contato@silvermammothband.com ou pela nossa loja http://silvermammoth.loja2.com.br/























SILVER MAMMOTH SINGLES: RESENHA NO SITE WHIPLASH

Por Fabio Pitombeira – NOTA: 10

Esta banda já havia me conquistado por conta do seu terceiro disco, “Mindlomania”, mas o que parecia ser o ápice destes paulistas, agora com o lançamento de “Silver Mammoth Singles”, que será disponibilizado apenas no vinil em julho, se revela como uma evolução musical assustadora.

A banda não foge das suas origens, embasada em ícones da década de setenta, mas vai além, nas duas canções que compõem esta obra: “Let Me Hide You” e “Coup To The End”. Enquanto a primeira é mais palatável e comercial, tendo um dos refrãos mais pegajosos da carreira do conjunto, a segunda é uma viagem musical, que permite facilmente ao ouvinte perceber, que está diante de um dos novos grandes nomes do Classic Rock brasileiro. A produção é competente, deixando tudo no seu devido lugar, principalmente quando acompanhamos a majestosa inserção de cítara, tornando assim o trabalho grandiloquente em toda a sua essência.

Material indicado para fãs do BLACK SABBATH, DEEP PURPLE, URIAH HEEP e congêneres. Então meus amigos, corram atrás da cópia de vocês, porque o vinil é limitado e indispensável na coleção dos amantes do bom e velho Rock de raiz.

Independente – 2017

Track List:

01. Let Me Hide You
02. Coup To The End

Resenha completa: Clique aqui


CONFIRA ENTREVISTA DA BANDA SILVER MAMMOTH NA REVISTA ROADIE CREW


Edição de Junho da Revista Roadie Crew, destaca entrevista sobre o novo lançamento em vinil, e a ascenção pós “Mindlomania”. Já nas Bancas e Livrarias.
















CONFIRA ENTREVISTA DA BANDA SILVER MAMMOTH AO BLOG ARTE METAL


São cinco anos de carreira, mas a bagagem do Silver Mammoth está mais pesada do que se imagina. Afinal, a consolidação dentro do cenário da música pesada nacional veio em forma de trabalho, pois são três discos de estúdio, clipes e agora o grupo se prepara para vários lançamentos em outros formatos e novas aventuras. Para falar sobre isso, o vocalista Marcello Izzo conversou com o ARTE METAL e deu mais detalhes. Atualmente a banda é formada por Marcelo Izzo Jr. (guitarra), Chakal (baixo), Guilherme Barros (guitarra) e Ibanes Liba (bateria)

Primeiramente falemos sobre a repercussão do último álbum, “Mindlomania” (2015). O disco obteve ótima repercussão e a impressão que temos é que ele solidificou de vez o Silver Mammoth no cenário. Isso é um fato? Quão grande foi a repercussão do álbum no Brasil, exterior, entre o público e entre a mídia?
Marcello Izzo: Quero começar esta entrevista agradecendo ao Arte Metal pela oportunidade de falar um pouco do Silver Mammoth aos seus seguidores. “Mindlomania” foi o álbum que um dia sonhei em fazer, escrever uma história e transformá-la em disco. Foi algo espontâneo, foram surgindo ideias, melodias, e fomos desenvolvendo dentro do que queríamos. A repercussão foi muito legal, o álbum recebeu reviews incríveis da mídia especializada no Brasil, e também algumas no Reino Unido. Creio que isso ajudou muito as pessoas a se interessarem em ouvir o álbum.

Como vocês vêem “Mindlomania” atualmente e o quão importante ele foi na carreira da banda?
Marcello: Continua nos empolgando, penso que muita gente ainda não parou para ouvi-lo inteiro como álbum, uma canção pós outra, isso ajuda a entender um pouco a dinâmica conceitual. “Mindlomania nos abriu portas importantes, como entrevistas, participações em coletâneas, execução nas duas rádios FM mais importantes de São Paulo, como a Kiss FM onde temos três músicas rolando e também na 89,1 a Rádio Rock onde já participamos de programas. As rádios Web que também tocam nosso som em suas programações, tudo isso se deu pós “Mindlomania”.

Entrevista completa: Clique aqui


EM JULHO, LANÇAMENTO DO NOVO TRABALHO SILVER MAMMOTH – SINGLES EM VINIL 7


Em Julho, lançamento do novo trabalho Silver Mammoth – Singles em VINIL 7.

Reserve já o seu através do email: contato@silvermammothband.com ou pela nossa loja http://silvermammoth.loja2.com.br/
























CONFIRA A ENTREVISTA PARA O SITE METAL NA LATA


CONFIRA ENTREVISTA DA BANDA SILVER MAMMOTH AO SITE QUALITYMUSICWEBRADIO


1- Gostaria que começasse nos apresentando a banda. Fale de sua formação e propósito ao criá-la.
Primeiramente quero agradecer a oportunidade de falar aos seus seguidores um pouco mais sobre o SM. Vou começar pelo segundo parágrafo, sou apaixonado por música desde os primeiros anos de vida, e com 12 anos ouvi “Paranoid” do Black Sabbath, e a partir de então, mergulhei nesta jornada e não parei mais. Estou falando de um tempo mágico, onde tudo era novo, e as curiosidades eram imensas. SM é composta por Marcelo Izzo Vocal, Marcelo Izzo Jr.(Teio) guitarra, Violão, Chakal Baixo, todos desde o início, e atualmente Guilherme Barros na outra Guitarra e Ibanes Liba na bateria, confesso que estou muito feliz com essa formação. Os meninos são incríveis.

2- Apesar de uma formação recente, a banda já tem alguns registros em CDs. Descreva cada um desses trabalhos na opinião da banda e como tem sido a aceitação do público em relação ao trabalho da banda?
1º Silver Mammoth Debut – O primeiro álbum do Silver, foi um processo incrivelmente espontâneo, a minha ideia era criar um álbum que não fosse definido como Hard Rock, Heavy Metal, Psicodélico ou Progressivo, era uma soma disso tudo, e as canções foram criadas nesse formato, queríamos que a mixagem tivesse lampejos dos 70th e 80th, algo direto, o álbum foi gravado com pouca produção, na raça, e hoje quando ouço é muito engraçado, fico me perguntando, porque não passei o facão aqui, ali, mas a galera gosta dele, sempre tocamos algumas músicas em shows. Graças a ele conseguimos estar aqui. 2º Pride Price – Este já tivemos um pouco mais de cuidado, desde a arte gráfica, como letras mais políticas, e alguns toques de Rock Progressivo. PP contém músicas mais pesadas, que fazem com que o álbum não tenha uma definição exata de som. Somos uma banda de Heavy Rock e suas vertentes, esta é a definição. 3º Mindlomania – Me agrada do início ao fim, Mind é um álbum de certa forma conceitual, onde todas as canções falam do mesmo tema, um indivíduo que sofre de problemas psíquicos, ora achando que está sendo perseguido pelo Czar Vermelho por obter o código secreto, ora achando que Marte e Vênus vem buscá-lo, enfim, o álbum recebeu reviews incríveis, aqui no Brasil e no Reino Unido, onde duas canções “The time Has Come e Shock Therapy, tocaram em rádios, assim como matérias em Magazines como “Power Play” que definiu o álbum como “Fab” e a “Fireworks” de Gales que também o evidenciou, assim como a nossa pioneira Roadie Crew que deu nota 9,0 em um review incrível. “Mindlomania” foi escrito, gravado, mixado e masterizado com muita inspiração, sem contar o trabalho brilhante de Rafael Agostino, tecladista que está sempre conosco e que foi um parceiro e tanto neste álbum, ajudando a transformar toda essa ideia maluca em um álbum musical.

3- A banda tem vídeos oficiais lançados e não perde tempo, trabalha constantemente para apresentar algo novo. Como conciliam a correria diária com as dificuldades de se ter uma banda no Brasil atualmente?
Boa pergunta, acredito que se não fosse por amor, não seria possível, ainda mais para mim, que tenho outra atividade profissional que me toma o dia todo, deixo para fazer as atividades do Silver Mammoth a noite, e vai até madrugada, seja compondo, escrevendo material novo, respondendo e-mails da galera, da Press que publica algo sobre a banda, faço questão de agradecer a todos que nos prestigiam, seja um seguidor, ou fã da banda, assim como parceiros e profissionais da área, quanto as novidades, é sempre bom ter algo novo e com qualidade para apresentar, nem sempre as coisas acontecem como gostaríamos, aqui é tudo mais difícil nos dias de hoje. Mas como disse no início, precisa amar tudo isso, se não esquece.

4- O que acham da atual cena metálica nacional? O que vocês citariam como destaque?
Tenho visto algumas bandas fazendo Tour, e isso é o mais difícil no atual cenário, temos poucas casas que abrem portas para as bandas autorais e quando abrem, muitas vezes sem estrutura ou valorização alguma, diferente de outros países onde a cena autoral é que impera. Mas mesmo com todo lixo sonoro que os poderosos meios de comunicação enfiam goela abaixo, vejo a cena em uma crescente, com algumas bandas excursionando inclusive. Sou sempre otimista e seria muito legal se nós do Heavy Rock tivéssemos 10% do espaço que outros estilos têm, seria mágico.

Entrevista completa: Clique aqui


MINDLOMANIA:RESENHA NO SITE STRIKE METAL


Além do ótimo heavy metal tradicional de sempre e o Hard rock que renasceram em menor proporção mas que estão atingindo de forma totalmente positiva uma nova geração de fãs/ouvintes( e os velhos também) existem outros “novos” generos que “surgiram” com um grande número de bandas, várias muito boas(e também várias muito ruins também que entraram de gaiatas) numa revival aos anos 60 e aos anos 70, nomes como os ótimos Kadavar, Graveyard, Blue Pills, etc o que se convem chamar hoje de “classic rock” .

Em nosso país como sempre este revival chegou com pouca força e pessoalmente somente esta banda paulista faz e compoem num formato mais próximo as bandas citadas, com o diferencial que enquanto os citados preferem uma produção mais clássica, mais orgânica e com uma sonoridade bem próxima aos tempos de outrora, os paulistanos optaram por uma produção mais moderna e atual, mas sem exageros.

Seguindo a mesma linha dos ótimos álbuns anteriores classic rock mesclado com o Hard Rock setentista (baluartes como Purple e Heep) , uma dose de psicodelia mas sem viajarem exageradamente e o famigerado stoner rock-que chamo carinhosamente de “flintstone´s rock”,um subestilo(mais um, pra que?) que reconheço mas que não sei descrever; dão o tom deste grande álbum.

Em termos de produção e musicalidade o seu trabalho mais sólido e pesado(o que não quer dizer heavy metal)com a participação do produtor Rafael Agostino (juntamente a Marcelo Izzo)que deu os tons certos tanto no órgão Hammond, quanto no mellotron ou piano; destaco os hardões setentistas maravilhosos “Bewitched”, “Mindlomania” com um tom de psicodelia e “Sadness” com um clima no estilo do Captain Beyond e caindo numa onda Purpleriana-note que cito estes nomes para dar uma idéia da musicalidade do quarteto ,não como uma mera cópia; “Liars” com um refrão bem acessível; o rock n roll irresistível de” Madman Dog” ; a baladaça setentona pesadona“ The Time Has Come” com um “q” do bom e velho Heep fase David Byron e uma guita Blackmoreana; a bela e viajante “Shining Star”que lembra o clima de “Solitude” do Sabbath, com voz, violão, solo de guitarra e percussão e o hardão progressivo viajante de “Shock Terapy” que fecha o trabalho de forma magnanima, dentre outras.

Um ótimo trabalho provando uma vez mais que nossa cena é incrivelmente rica e deve ser mais explorada pelos fãs. Marquem bem este nome: Silver Mammoth !

Resenha completa: Clique aqui


SILVER MAMMOTH: BANDA É CONFIRMADA NO TRIBUTO BRASILEIRO AO MOTORHEAD


A banda paulista SILVER MAMMOTH é um dos pesos pesados do Rock/Metal nacional, confirmados pelo selo britânico Secret Service Records para participar de um tributo brasileiro ao Motörhead, intitulado “Going To Brazil… The Brazilian Tribute Of Motörhead”.

O SILVER MAMMOTH participará do referido trabalho com a clássica “White Line Fever”, em homenagem à um dos maiores nomes da música pesada mundial. O álbum sairá na Europa no seu formato físico, mundialmente no formato digital, ainda no primeiro semestre de 2017, e contará também com as presenças de bandas como: Ratos de Porão, Torture Squad, Claustrofobia, Genocídio, Matanza, Attomica, Nervochaos, entre outros.

Em paralelo, o SILVER MAMMOTH confirmou que os trabalhos de gravação dos seus dois novos singles, que serão lançados classicamente em Vinil, estão em fase final de produção. Os dois singles inéditos, contarão com distribuição mundial, no seu formato digital, conduzida pela Onerpm. A produção do material conta com a assinatura de Marcelo Izzo, e a gravação, mixagem e masterização serão conduzidas por Andria Busic (Busic, ex-Dr.Sin), um dos mais renomados profissionais do país.










 

Se o Ozzy gostou, você também vai gostar!

 

Quer ter uma camiseta do Silver Mammoth? Peça já a sua:

marcelo.rockandrollvinil@hotmail.com