Loja Contatos Videos Fotos Discografia Biografia Home Notícias Joao Duarte J.Duarte Design www.jduartedesign.com

SILVER MAMMOTH: PRÊMIO PALCO MP3 CATEGORIA HARD ROCK

É com grande satisfação que recebemos pelo 2º ano consecutivo, o prêmio Palco mp3 de Artista mais acessado na categoria Hard Rock, com quase 1 Milhão de acessos. Obrigado aos nossos fãs, amigos e seguidores, vocês são a razão de tudo isso. Thanks!


SILVER MAMMOTH: AULA DE ROCK AND ROLL NO WILD HORSE MUSIC DE SP

Resenha – Silver Mammoth (Wild Horse Music, São Paulo, SP, 12/11/2017) Por Wallace Ricardo Magri

Noite de domingo e estamos aqui, mais uma vez, cobrindo e apoiando o rock nacional em suas mais variadas vertentes.

E hoje o negócio acontece em alto estilo: espaço agradável, público seleto, set list grandioso cobrindo toda a carreira da banda, com direito à execução do álbum “Mindlomania” e “Singles” na íntegra.

Rock de qualidade? Sim, temos aqui no Brasil, que não deve nada para banda de lugar algum do globo – e o Silver vem esta noite para deixar isto muito claro.

Após a introdução psicodélica “The Cave, The Hole, The Escape”, o show abre com “Bewitched”, um dos clipes mais legais produzidos em 2015, mostrando de cara que a banda está afiadíssima e que sobe uns 5 níveis o peso de suas composições ao vivo. Mantendo a intensidade do show lá em cima, emendam com “Mindlomania” em que Marcello manda o seu melhor Ozzy numas das melhores composições da banda até hoje, com direito a duelo de guitarras nos solos.

A esta altura, a essência do Hard Rock está insaturada no pub, que é firmada com muito groove em “Sadness”, na qual os teclados old school de Leão se sobressaem.

O som da casa está muito bom, todos os instrumentos agradavelmente audíveis sem embolar ou estourar, vocal com ligeiro destaque, como deve ser. Embora a presença de palco fique limitada pelo espaço disponível versus quantidade de músicos, o visual da banda é muito legal e os cabelos aos ares dão conta de trabalhar o movimento.

Seguindo o show, a próxima é a balada “The Time Has Come”, interlúdio muito oportuno para equalizar a energia da apresentação e demonstrar a versatilidade do repertório da banda e a qualidade dos músicos: Guilherme é o mestre dos solos mais viscerais, haja vista sua escola Dimebag, mas sabe mostrar feeling invejável nas músicas mais cadenciadas; Teio é discreto atrás de sua Les Paul, mantendo as bases e aparecendo em solos com wah wah e muito groove, bem na linha Page, Box, Frehley; a cozinha está em ótimas mãos com Chakal, baixista de corpo e alma, competente e orgânico que segura todos os andamentos com aquela tranquilidade típica de baixista nato, enquanto Liba cadencia o ritmo, sabendo a hora de groovar e a de martelar, chamando as músicas para os momentos de mais peso; Leão é um músico fora da curva, conferindo um DNA extravagante à sonoridade da banda; e Marcello é um showman na essência do termo, desde presença de palco, passando pela interpretação das letras e contato com o público – além da qualidade inegável como vocalista – e sabe dar crédito aos coautores de algumas músicas, presentes na ocasião, o que demonstra humildade e consideração.

De volta ao show, o rock antigão rola solto com “Madman Doc” que lembra aquela pegada “Let me Go Rock and Roll” do KISS, só que com a tecladeira comendo solta dando todo clima festivo no andamento da música ao vivo.

Em seguida, mais uma baladinha, esta do álbum de estreia, “Natural Love”, simples, naquela linha Whitesnake, bem inspirada e melódica.

“Wild Wolf” vem anunciando o final da primeira parte do show, apoiada em um riff bem pesado, voltando a render homenagens às raízes setentistas da banda naquele estilo “proto-metal” na linha Pentagram.

A sequência pesadaça começa com a clássica “Trojan War”,

que deixa muita banda de heavy metal no chinelo, um misto de “Outshined” do Soundgarden com “NIB” do Sabbath. Que paulada!! E Marcello aproveita para dar um show à parte no quesito performance e inspiração na interpretação da letra da música.

Em seguida vem “Pride Price”, outra paulada fenomenal com todos os instrumentos “na cara” do público -todos os presentes vidrados olhando para o palco de queixos caídos. A seguir é a hora de “Liars” e aquela pegada punk rock impagável remetendo, mais uma vez, às raízes da banda, fazendo todos os presentes cantarem juntos o refrão (“you fucking liars”).

“Shining Star” traz psicodelia para a apresentação, quase numa linha post-Grunge, lembrando “The Ocean”, do Pearl Jam.

É chegada a hora de trocar as afinações para tocar as músicas do compacto em vinil “Singles”, “Let Me Hide You” e “Coup To The End”, que ganham nova roupagem com maior destaque aos teclados ao vivo, tornando-as ainda mais classudas.

E, enfim, chegamos à última parte do show em clima de psicodelia pura, com cover de “Riders On The Storm”, do The Doors, quando Leão rouba a cena e leva o público ao delírio com uma execução perfeita dos teclados.

Por falar em cover, em “Dancing in the Moonlight” Teio assume os vocais e mostra seu estilo Thin Lizzy no vocal. E, para levar o público ao delírio, mandam versão para “White Line Fever”, do Motorhead, um dos destaques do álbum-tributo de que faz parte esta música. Marcello define bem o que ouvimos, ao final da execução: parece mais Sabbath do que Motorhead. É aquela velha história, cover nota-por-nota qualquer um faz, agora uma versão original de um clássico de uma das maiores bandas de rock do mundo com a assinatura da banda que presta o tributo é para poucos.

E, para encerrar, ainda temos a trinca “Shock Therapy”, “Silver Mammoth” e “Friend in London”; a primeira, um verdadeiro épico, com direito a execução em alta rotação na Kiss FM; a segunda, a música-tema da banda, com um solo de teclado simplesmente insano e também solo de guitarra inspiradíssimo de Teio, com uma levada que deixaria a rapaziada do Ghost ruborizada tamanha a energia envolvida; e, a última, também é tirada do álbum de estreia da banda retomando aquela levada mais simples na linha punk rock que caracteriza as primeiras composições da banda, encerrando este concerto irretocável com chave de ouro.

Apesar das 2 horas de show, o público pede uma saideira e, quase chegando na primeira hora da segunda-feira, executam “Soldiers of Prey”.

Agora fica a torcida para a banda disponibilizar esta aula de rock and roll em DVD e/ou CD ao vivo. E já adianto, se isto acontecer, compre este material imediatamente, para participar desta experiência única.

Set List
Intro: The Cave, The Hole, The Escape
Bewitched
Mindlomania
Sadness
The Time Has Come
Madman Doc
Natural Love
Wild Wolf
Trojan War
Pride Price
Liars
Shining Star
Let Me Hide You
Coup To The End
Riders on The Storm
Dancing in The Moonlight
White Line Fever
Shock Therapy
Silver Mammoth
A Friend in London

BIS
Soldier of Prey
4P

3P

2P

1P

https://whiplash.net/materias/shows/274686-silvermammoth.html


SILVER MAMMOTH: “SINGLES” RECEBE ALTAS NOTAS EM DIFERENTES RESENHAS

O lançamento “Silver Mammoth Singles”, vem recebendo ótimas notas em diferentes resenhas. Confira algumas delas:

Reidjou: Nota 10.0 de 10.0
http://www.reidjou.com/resenhas/silver-mammoth-equotsinglesequot-independente-2017

Whiplash: Nota 10.0 de 10.0
https://whiplash.net/materias/cds/266134-silvermammoth.html

Rumors Mag: Nota 9.5 de 10.0
http://rumorsmag.com.br/js_albums/silver-mammoth-singles/

Imprensa do Rock: Nota 9.0 de 10.0
http://www.imprensadorock.com.br/26951-2/

Full Rock: Nota 9.5 de 10.0
http://www.fullrock.com/2017/09/review-cd-silver-mammoth-singles.html?m=1

Metal Samsara: Nota 9.6 de 10
https://metalsamsara2.blogspot.com.br/2017/12/silver-mammoth-silver-mammoth-singles.html?m=1










SILVER MAMMOTH: CONFIRMADO SHOW EM SÃO PAULO EM NOVEMBRO

A banda Silver Mammoth irá se apresentar dia 12/11/2017 às 19 horas no Wild Horse Music Bar, localizado na Alameda dos Pamaris, nº 54.

Os ingressos antecipados custam R$20,00 (somente entrada) ou R$30,00 (ganhe 1 CD do Silver Mammoth a escolher e concorra a 1 unidade do “Silver Mammoth SINGLES” Ed. Limitada em vinil autografado).



















CONFIRA VIDEOCLIP OFICIAL DA MÚSICA COUP TO THE END


SILVER MAMMOTH: LANÇAMENTO DE NOVO SINGLE

No dia 05 de Setembro acontece o lançamento mundial de “Coup to the End”, o Lado B da Edição histórica do vinil “Singles” da banda Silver Mammoth.

O vinil “Singles” vem em uma edição limitadíssima e já se encontra disponível a venda. Compre já o seu através do email: contato@silvermammothband.com ou pela nossa loja http://silvermammoth.loja2.com.br/























CONFIRA VIDEOCLIP OFICIAL DA MÚSICA LET ME HIDE YOU


SILVER MAMMOTH: LANÇAMENTO DE NOVO SINGLE

No dia 01 de Agosto acontece o lançamento mundial de “Let me Hide You”, o Lado A da Edição histórica do vinil “Singles” da banda Silver Mammoth.

O vinil “Singles” vem em uma edição limitadíssima e já se encontra disponível a venda. Compre já o seu através do email: contato@silvermammothband.com ou pela nossa loja http://silvermammoth.loja2.com.br/























SILVER MAMMOTH SINGLES: RESENHA NO SITE WHIPLASH

Por Fabio Pitombeira – NOTA: 10

Esta banda já havia me conquistado por conta do seu terceiro disco, “Mindlomania”, mas o que parecia ser o ápice destes paulistas, agora com o lançamento de “Silver Mammoth Singles”, que será disponibilizado apenas no vinil em julho, se revela como uma evolução musical assustadora.

A banda não foge das suas origens, embasada em ícones da década de setenta, mas vai além, nas duas canções que compõem esta obra: “Let Me Hide You” e “Coup To The End”. Enquanto a primeira é mais palatável e comercial, tendo um dos refrãos mais pegajosos da carreira do conjunto, a segunda é uma viagem musical, que permite facilmente ao ouvinte perceber, que está diante de um dos novos grandes nomes do Classic Rock brasileiro. A produção é competente, deixando tudo no seu devido lugar, principalmente quando acompanhamos a majestosa inserção de cítara, tornando assim o trabalho grandiloquente em toda a sua essência.

Material indicado para fãs do BLACK SABBATH, DEEP PURPLE, URIAH HEEP e congêneres. Então meus amigos, corram atrás da cópia de vocês, porque o vinil é limitado e indispensável na coleção dos amantes do bom e velho Rock de raiz.

Independente – 2017

Track List:

01. Let Me Hide You
02. Coup To The End

Resenha completa: Clique aqui


CONFIRA ENTREVISTA DA BANDA SILVER MAMMOTH NA REVISTA ROADIE CREW


Edição de Junho da Revista Roadie Crew, destaca entrevista sobre o novo lançamento em vinil, e a ascenção pós “Mindlomania”. Já nas Bancas e Livrarias.
















CONFIRA ENTREVISTA DA BANDA SILVER MAMMOTH AO BLOG ARTE METAL


São cinco anos de carreira, mas a bagagem do Silver Mammoth está mais pesada do que se imagina. Afinal, a consolidação dentro do cenário da música pesada nacional veio em forma de trabalho, pois são três discos de estúdio, clipes e agora o grupo se prepara para vários lançamentos em outros formatos e novas aventuras. Para falar sobre isso, o vocalista Marcello Izzo conversou com o ARTE METAL e deu mais detalhes. Atualmente a banda é formada por Marcelo Izzo Jr. (guitarra), Chakal (baixo), Guilherme Barros (guitarra) e Ibanes Liba (bateria)

Primeiramente falemos sobre a repercussão do último álbum, “Mindlomania” (2015). O disco obteve ótima repercussão e a impressão que temos é que ele solidificou de vez o Silver Mammoth no cenário. Isso é um fato? Quão grande foi a repercussão do álbum no Brasil, exterior, entre o público e entre a mídia?
Marcello Izzo: Quero começar esta entrevista agradecendo ao Arte Metal pela oportunidade de falar um pouco do Silver Mammoth aos seus seguidores. “Mindlomania” foi o álbum que um dia sonhei em fazer, escrever uma história e transformá-la em disco. Foi algo espontâneo, foram surgindo ideias, melodias, e fomos desenvolvendo dentro do que queríamos. A repercussão foi muito legal, o álbum recebeu reviews incríveis da mídia especializada no Brasil, e também algumas no Reino Unido. Creio que isso ajudou muito as pessoas a se interessarem em ouvir o álbum.

Como vocês vêem “Mindlomania” atualmente e o quão importante ele foi na carreira da banda?
Marcello: Continua nos empolgando, penso que muita gente ainda não parou para ouvi-lo inteiro como álbum, uma canção pós outra, isso ajuda a entender um pouco a dinâmica conceitual. “Mindlomania nos abriu portas importantes, como entrevistas, participações em coletâneas, execução nas duas rádios FM mais importantes de São Paulo, como a Kiss FM onde temos três músicas rolando e também na 89,1 a Rádio Rock onde já participamos de programas. As rádios Web que também tocam nosso som em suas programações, tudo isso se deu pós “Mindlomania”.

Entrevista completa: Clique aqui


EM JULHO, LANÇAMENTO DO NOVO TRABALHO SILVER MAMMOTH – SINGLES EM VINIL 7


Em Julho, lançamento do novo trabalho Silver Mammoth – Singles em VINIL 7.

Reserve já o seu através do email: contato@silvermammothband.com ou pela nossa loja http://silvermammoth.loja2.com.br/
























CONFIRA A ENTREVISTA PARA O SITE METAL NA LATA


CONFIRA ENTREVISTA DA BANDA SILVER MAMMOTH AO SITE QUALITYMUSICWEBRADIO


1- Gostaria que começasse nos apresentando a banda. Fale de sua formação e propósito ao criá-la.
Primeiramente quero agradecer a oportunidade de falar aos seus seguidores um pouco mais sobre o SM. Vou começar pelo segundo parágrafo, sou apaixonado por música desde os primeiros anos de vida, e com 12 anos ouvi “Paranoid” do Black Sabbath, e a partir de então, mergulhei nesta jornada e não parei mais. Estou falando de um tempo mágico, onde tudo era novo, e as curiosidades eram imensas. SM é composta por Marcelo Izzo Vocal, Marcelo Izzo Jr.(Teio) guitarra, Violão, Chakal Baixo, todos desde o início, e atualmente Guilherme Barros na outra Guitarra e Ibanes Liba na bateria, confesso que estou muito feliz com essa formação. Os meninos são incríveis.

2- Apesar de uma formação recente, a banda já tem alguns registros em CDs. Descreva cada um desses trabalhos na opinião da banda e como tem sido a aceitação do público em relação ao trabalho da banda?
1º Silver Mammoth Debut – O primeiro álbum do Silver, foi um processo incrivelmente espontâneo, a minha ideia era criar um álbum que não fosse definido como Hard Rock, Heavy Metal, Psicodélico ou Progressivo, era uma soma disso tudo, e as canções foram criadas nesse formato, queríamos que a mixagem tivesse lampejos dos 70th e 80th, algo direto, o álbum foi gravado com pouca produção, na raça, e hoje quando ouço é muito engraçado, fico me perguntando, porque não passei o facão aqui, ali, mas a galera gosta dele, sempre tocamos algumas músicas em shows. Graças a ele conseguimos estar aqui. 2º Pride Price – Este já tivemos um pouco mais de cuidado, desde a arte gráfica, como letras mais políticas, e alguns toques de Rock Progressivo. PP contém músicas mais pesadas, que fazem com que o álbum não tenha uma definição exata de som. Somos uma banda de Heavy Rock e suas vertentes, esta é a definição. 3º Mindlomania – Me agrada do início ao fim, Mind é um álbum de certa forma conceitual, onde todas as canções falam do mesmo tema, um indivíduo que sofre de problemas psíquicos, ora achando que está sendo perseguido pelo Czar Vermelho por obter o código secreto, ora achando que Marte e Vênus vem buscá-lo, enfim, o álbum recebeu reviews incríveis, aqui no Brasil e no Reino Unido, onde duas canções “The time Has Come e Shock Therapy, tocaram em rádios, assim como matérias em Magazines como “Power Play” que definiu o álbum como “Fab” e a “Fireworks” de Gales que também o evidenciou, assim como a nossa pioneira Roadie Crew que deu nota 9,0 em um review incrível. “Mindlomania” foi escrito, gravado, mixado e masterizado com muita inspiração, sem contar o trabalho brilhante de Rafael Agostino, tecladista que está sempre conosco e que foi um parceiro e tanto neste álbum, ajudando a transformar toda essa ideia maluca em um álbum musical.

3- A banda tem vídeos oficiais lançados e não perde tempo, trabalha constantemente para apresentar algo novo. Como conciliam a correria diária com as dificuldades de se ter uma banda no Brasil atualmente?
Boa pergunta, acredito que se não fosse por amor, não seria possível, ainda mais para mim, que tenho outra atividade profissional que me toma o dia todo, deixo para fazer as atividades do Silver Mammoth a noite, e vai até madrugada, seja compondo, escrevendo material novo, respondendo e-mails da galera, da Press que publica algo sobre a banda, faço questão de agradecer a todos que nos prestigiam, seja um seguidor, ou fã da banda, assim como parceiros e profissionais da área, quanto as novidades, é sempre bom ter algo novo e com qualidade para apresentar, nem sempre as coisas acontecem como gostaríamos, aqui é tudo mais difícil nos dias de hoje. Mas como disse no início, precisa amar tudo isso, se não esquece.

4- O que acham da atual cena metálica nacional? O que vocês citariam como destaque?
Tenho visto algumas bandas fazendo Tour, e isso é o mais difícil no atual cenário, temos poucas casas que abrem portas para as bandas autorais e quando abrem, muitas vezes sem estrutura ou valorização alguma, diferente de outros países onde a cena autoral é que impera. Mas mesmo com todo lixo sonoro que os poderosos meios de comunicação enfiam goela abaixo, vejo a cena em uma crescente, com algumas bandas excursionando inclusive. Sou sempre otimista e seria muito legal se nós do Heavy Rock tivéssemos 10% do espaço que outros estilos têm, seria mágico.

Entrevista completa: Clique aqui


MINDLOMANIA:RESENHA NO SITE STRIKE METAL


Além do ótimo heavy metal tradicional de sempre e o Hard rock que renasceram em menor proporção mas que estão atingindo de forma totalmente positiva uma nova geração de fãs/ouvintes( e os velhos também) existem outros “novos” generos que “surgiram” com um grande número de bandas, várias muito boas(e também várias muito ruins também que entraram de gaiatas) numa revival aos anos 60 e aos anos 70, nomes como os ótimos Kadavar, Graveyard, Blue Pills, etc o que se convem chamar hoje de “classic rock” .

Em nosso país como sempre este revival chegou com pouca força e pessoalmente somente esta banda paulista faz e compoem num formato mais próximo as bandas citadas, com o diferencial que enquanto os citados preferem uma produção mais clássica, mais orgânica e com uma sonoridade bem próxima aos tempos de outrora, os paulistanos optaram por uma produção mais moderna e atual, mas sem exageros.

Seguindo a mesma linha dos ótimos álbuns anteriores classic rock mesclado com o Hard Rock setentista (baluartes como Purple e Heep) , uma dose de psicodelia mas sem viajarem exageradamente e o famigerado stoner rock-que chamo carinhosamente de “flintstone´s rock”,um subestilo(mais um, pra que?) que reconheço mas que não sei descrever; dão o tom deste grande álbum.

Em termos de produção e musicalidade o seu trabalho mais sólido e pesado(o que não quer dizer heavy metal)com a participação do produtor Rafael Agostino (juntamente a Marcelo Izzo)que deu os tons certos tanto no órgão Hammond, quanto no mellotron ou piano; destaco os hardões setentistas maravilhosos “Bewitched”, “Mindlomania” com um tom de psicodelia e “Sadness” com um clima no estilo do Captain Beyond e caindo numa onda Purpleriana-note que cito estes nomes para dar uma idéia da musicalidade do quarteto ,não como uma mera cópia; “Liars” com um refrão bem acessível; o rock n roll irresistível de” Madman Dog” ; a baladaça setentona pesadona“ The Time Has Come” com um “q” do bom e velho Heep fase David Byron e uma guita Blackmoreana; a bela e viajante “Shining Star”que lembra o clima de “Solitude” do Sabbath, com voz, violão, solo de guitarra e percussão e o hardão progressivo viajante de “Shock Terapy” que fecha o trabalho de forma magnanima, dentre outras.

Um ótimo trabalho provando uma vez mais que nossa cena é incrivelmente rica e deve ser mais explorada pelos fãs. Marquem bem este nome: Silver Mammoth !

Resenha completa: Clique aqui


SILVER MAMMOTH: BANDA É CONFIRMADA NO TRIBUTO BRASILEIRO AO MOTORHEAD


A banda paulista SILVER MAMMOTH é um dos pesos pesados do Rock/Metal nacional, confirmados pelo selo britânico Secret Service Records para participar de um tributo brasileiro ao Motörhead, intitulado “Going To Brazil… The Brazilian Tribute Of Motörhead”.

O SILVER MAMMOTH participará do referido trabalho com a clássica “White Line Fever”, em homenagem à um dos maiores nomes da música pesada mundial. O álbum sairá na Europa no seu formato físico, mundialmente no formato digital, ainda no primeiro semestre de 2017, e contará também com as presenças de bandas como: Ratos de Porão, Torture Squad, Claustrofobia, Genocídio, Matanza, Attomica, Nervochaos, entre outros.

Em paralelo, o SILVER MAMMOTH confirmou que os trabalhos de gravação dos seus dois novos singles, que serão lançados classicamente em Vinil, estão em fase final de produção. Os dois singles inéditos, contarão com distribuição mundial, no seu formato digital, conduzida pela Onerpm. A produção do material conta com a assinatura de Marcelo Izzo, e a gravação, mixagem e masterização serão conduzidas por Andria Busic (Busic, ex-Dr.Sin), um dos mais renomados profissionais do país.









SILVER MAMMOTH: CONFIRA VIDEOCLIP DO NOVO SINGLE “SADNESS”


15 de dezembro é a data escolhida para o lançamento do novo videoclip da banda Silver Mammoth. “Sadness”, o último single do álbum Mindlomania foi a música escolhida para esse lançamento. Confira o resultado!


SILVER MAMMOTH: BANDA DE HARD ROCK MAIS OUVIDA DE 2016 NO PALCO MP3


O site Palco MP3 divulgou a lista dos artistas mais acessados em 2016 e a banda Silver Mammoth foi a mais acessada na categoria Hard Rock, com quase 500.000 mil audições, só dos primeiros 02 álbuns, e os singles Bewitched e Mindlomania. Agradecemos a todos por essa conquista!

Premio Palco MP3: https://premio.palcomp3.com/

Confira nossa página clicando aqui: www.palcomp3.com/silvermammoth

















SILVER MAMMOTH: NOVOS TRABALHOS CONTARÃO COM A PRODUÇÃO DE ANDRIA BUSIC

A banda paulista SILVER MAMMOTH iniciou neste último domingo, dia 06 de novembro, a gravação dos dois primeiros singles do seu vindouro novo álbum, ainda sem título definido. A produção contará com a assinatura de Andria Busic (Dr.Sin), um dos mais renomados produtores do país.

Segundo Marcelo Izzo, vocalista do conjunto, Andria respondeu seu convite com uma simples frase: “Let´s Rock Dude”. Izzo nos conta que, neste novo trabalho, gostaria de dividir um pouco o foco, “além do parceiro e amigo Rafa, queria contar com a experiência de Andria, isto é bem legal”, afirma Izzo. “O álbum ‘Mindlomania’ foi mágico fazer, principalmente por ter tido a receptividade positiva que teve, vamos ver o que conseguimos desta vez”, finaliza ele.

Em paralelo, o grupo confirmou para o mês de novembro o início da produção do seu vindouro novo videoclipe, para o single “Sadness”, extraído do seu terceiro álbum de inéditas “Mindlomania”, lançado no Brasil pela MS Metal Records e que vem sendo líder de vendas da gravadora em 2016.

“Sadness” será disponibilizado no canal oficial da banda no YouTube em dezembro, seguido do lançamento em áudio digital do single, que contará com a distribuição para as principais lojas especializadas do mercado mundial.


CONFIRA VIDEOCLIP OFICIAL DA MÚSICA SHINING STAR!


SILVER MAMMOTH: REVIEW DO ÁLBUM MINDLOMANIA NA REVISTA POWER PLAY


Boa Noite Amigos e Seguidores! Esta semana recebi a revista Inglesa “Power Play”, com um mega Review sobre o álbum “Mindlomania”, lançado no Brasil em Novembro/15. Em breve publicaremos o Review original em Inglês com tradução.

























CONFIRA ENTREVISTA COM O SILVER MAMMOTH NO PROGRAMA PEGADAS DE ANDREAS KISSER DA 89FM


SILVER MAMMOTH CONQUISTANDO O REINO UNIDO


SILVER MAMMOTH – Mindlomania – MS Metal Records

Enquanto a música “The Time Has Come” faixa do álbum recém lançado “Mindlomania” está a todo vapor em rádios Britânicas, a banda continua sendo citada em Revistas e fóruns na terra da Rainha.
















MINDLOMANIA:NAS RÁDIOS DO REINO UNIDO


“Mindlomania” lançado em Novembro/15 chega ao Reino Unido e já toca em Rádios FM. A música The Time Has Come, está na Playlist da Radio ARfm de Londrês.
















MINDLOMANIA:RESENHA NO SITE ROAD TO METAL


Apreensivos por tantas coisas novas que surgem em pleno século atual, a aquelas pessoas que nunca deixam de prolificar as sua raízes dentro do Rock, mostrando sinais de que o gênero não mudou nada, continuando atual (como sempre), não deixando de inovar em certas coisas. E para entender que o tradicional Hard Rock setentista, carregando também algumas peças do Classic Rock, eis que surge Silver Mammoth, quarteto paulistano que acaba de lançar “Mindlomania”.

Para quem é fã, principalmente de Deep Purple e Uriah Heep, “Mindlomania” é um prato cheio para o fã que se mantém fiel às influências setentistas. E nele há de tudo o que se possa imaginar em se tratando de pegada clássica dentro do Rock, abrangendo riffs de guitarras pesados, arranjos cristalinos de hammond um trabalho vocal diversificado, transitando também a ambientes psicodélicos, sem deixar de se esquivar de momentos mais viajantes, o que é habitual pra quem teve o prazer de viver aquela época.

A produção, assinada por Marcelo Izzo e Rafael Agostini, e a mixagem/masterização, que ficou a cargo do Hugo “agogô” Silva, traz uma sonoridade limpa e moderna no seu devido ponto. Afinal, os músicos passam o clima ‘ao vivo’ a cada momento do disco, traçando em nossas mentes como era gravar um disco na década de 70, que era justamente dessa forma. A capa enverga tons diversificados, caracterizado pelo charme psicodélico da banda. E mais uma vez o artista João Duarte caprichou com sua habilidade, explicitando o que o quarteto passa através da arte.

Resenha completa: Clique aqui



MINDLOMANIA:RESENHA NO SITE A TABERNA DOS BARDOS


Pegue influencias de bandas como Depeche Mode, Black Sabbath, bandas dos Anos 70… coloque músicos excelentes para tocar e pronto! Silver Mammoth!

Mindlomania tem uma pitada de tudo o que provavelmente os caras vem escutando e colocando em prática neste cd maravilhoso!

A faixa que abre o CD é a Bewitched que me deu a sensação de uma banda muito atual resgatando a sonoridade de bandas setentistas… sensacional… energética!

“Mindlomania” traz uma pegada mais swingada muito bacana de se ouvir. E na sequencia temos a balada “The Time Has Come” que traz uma pegada realmente estilo Led Zeppelin e Deep Purple muito interessante.

Marcelo Izzo (vocalista) não precisa exagerar nos tons para cantar e deixar sua marca. Marcelo Izzo Jr. (guitarrista) mostra rifs e mais rifs irados. Chakal (baixista) mostra como se tem influencias de outros estilos sem deixar de tocar o Hard Rock, principalmente na que destaco aqui “Liars”. Vinnie Rabello (baterista) comanda a bateria com maestria como se regesse a orquestra Silver Mammoth!

Resenha completa: Clique aqui







Silver Mammoth é destaque no Site Inglês “The Rocker”


SILVER MAMMOTH – Mindlomania – MS Metal Records

We’re still in the world of metal, but we’re heading further afield (Brazil) and back in time (the seventies) for some stoner / Sabbath influenced proto metal.

It’s the third album from Silver Mammoth, and even though their Black Sabbath meets desert rock meets Uriah Heep sound has been done before, they do it really well. It’s an album full of energy, wiry guitar solos and some excellent keyboard arrangements.

“Mindlomania” also features a good production which balances the instrumentation very well, allowing Alice Cooper soundalike Marcelo Izzo to spin their tales of ‘Bewitched’, ‘The Time Has Come’ and ‘The Cave, The Hole, The Escape’ over some great riffs and Hammond solos. In fact, if heavy seventies keyboards sounds are your thing, then you really need to hear ‘Sadness’. One for the Leaf Hound fans out there.

COMPRE NA AMAZON

Resenha completa: Clique aqui (em inglês)








MINDLOMANIA:RESENHA NO SITE ROCK ON STAGE


Depois de um ano, eis aqui o terceiro disco do Silver Mammoth, quarteto composto por Marcelo Izzo nos vocais, Marcelo Izzo Jr. na guitarra, Chakal no baixo e o novo baterista Vinnie Rabello, que também cuidou da percussão e do ‘dorbak’. Novamente eles contaram com o convidado Rafael Agostino no Hammond, Moog, Mellotron e piano. Intitulado como Mindlomania e que foi lançado pela MS Metal Records, o que Silver Mammoth nos preparou é um mergulho no chamado Classic Rock setentista.

Aliás, ele e o vocalista cuidaram da produção do cd, ou seja, dos processos de gravação, mixagem e masterização, que tiveram a co-produção de Hugo “Agego” Silva. A bateria, percussão e o ‘dorbak’ foram registrados no Family Mob Studios, a guitarra e o baixo no Casa 4 e Cbass Stduio e por fim, os vocais e os teclados no Mammoth Cave´s Studio. A elaborada, colorida e de certa forma abstrata capa e encartes são de autoria de João Duarte da JDuarte Design.

Após poucos acordes com uma linha hindu, o Heavy Rock do Silver Mammoth entra firme e cativante com a Bewitched em um ritmo crescente e orientado pelos solos de guitarra de Marcelo Izzo Jr. e guiados pela atmosfera gerada pelo Hammond de Rafael Agostino, que além de duelar com a guitarra, tece flertes claros com o Deep Purple. Para a faixa título, a Mindlomania, percebe-se toques mais opacos no baixo de Chakal, um andamento envolvente e aparentemente sarcástico, que gosta-se na hora, até por conta dos vocais de Marcelo Izzo lembrarem do saudoso David Bowie. Com ares de balada e linhas bastante introspectivas, The Time Has Come é a terceira do cd e é muito interessante como os reluzentes solos de guitarras de Marcelo Izzo Jr. criaram um ambiente viajante e como isso se funde ao estilo Psicodélico da música.

Resenha completa: Clique aqui


MINDLOMANIA:RESENHA NO SITE BRASIL METAL HISTÓRIA


O incansável grupo paulistano Silver Mammoth não pára, já que pelo terceiro ano consecutivo está lançando mais um álbum de estúdio. Dessa vez atacando com “Mindlomania”, que vem para suceder “Pride Price” (2014) e o homônimo álbum de estreia “Silver Mammoth” (2013). E não é exagero afirmar que estamos diante do melhor trabalho que essa banda que tem apenas pouco mais de cinco anos de existência já lançou. Em relação a “Pride Price”, o Silver Mammoth passou por algumas reformulações em sua formação, e agora conta com o estreante baterista Vinnie Rabello, além dos membros remanescentes Marcelo Izzo (vocal), seu filho Marcelo Izzo Jr. – que passou a ser o único guitarrista desde a saída de Leonardo Henrique – e o baixista Chakal.

Nesse novo material, quem assina a produção ao lado de Marcelo Izzo é Rafael Agostino – que outra vez aparece também como convidado, tocando Hammond, Moog, Mellotron e piano -, e a dupla trabalhou muito bem, pois o resultado gerou uma ambiência bem encorpada, que enriqueceu ainda mais a sonoridade do grupo, que vagueia pelos anos 70, com pitadas de Classic Rock, Hard Rock, Stoner e Rock Progressivo, tudo com doses psicodélicas, começando pela belíssima arte gráfica, que ficou a cargo de João Duarte – mestre dos websites. A sonzeira começa com a pesada e sinistra “Bewitched”, que, acreditem ou não, chega a lembrar o Ghost. Na sequência temos a ótima faixa título que tem um refrão insano.

Daí para frente outros ótimos momentos se apresentam através de “Madman Dog”, um Rock’n’Roll clássico que remete ao Made In Brazil; A grooveada “Sadness”; E, por fim, a melhor de todas, a extensa “Shock Therapy”, que encerra o álbum apresentando diversas passagens, alternando o ritmo em um trabalho instrumental impecável, e até alguns toques de Pink Floyd. De modo geral, a banda evoluiu de “Pride Price” para cá, e certamente nos brindou com um dos melhores lançamentos nacionais de 2015.

Leandro Nogueira Coppi

Resenha completa: Clique aqui


MINDLOMANIA:RESENHA NO SITE A MÚSICA CONTINUA A MESMA – Nota 9,0


É claro que o Brasil não poderia passar incólume a essa onda de bandas que apostam em um Classic Rick setentista com pegada bem psicodélica e dentro desse nicho, indiscutivelmente o Silver Mammoth é nosso melhor nome. Mantendo a regularidade de um trabalho por ano, Mindlomania vem para suceder o muito bom Pride Price (14).

Após a primeira audição de Mindlomania, lamentei o mesmo só ter chegado em minhas mãos nesse mês de janeiro, pois ele teria entrado tranquilamente entre os 10 melhores trabalhos nacionais de 2015. Apresentando sua mescla de Classic Rock, Psychedelic e algo de Progressivo, apresentam um som com pegada totalmente setentista, mas que não soa datado devido a ótima produção. Com uma sonoridade bem variada, fica impossível não afirmar que o Silver Mammoth se encontra em seu auge no que tange a criatividade e técnica (e devendo crescer ainda mais nos próximos trabalhos).

As composições estão muito bem arranjadas e esbanjam técnica, mas sem que a banda soe pedante. A performance vocal de Marcelo Izzo está muito boa, enquanto Marcelo Izzo Jr. se sai muito bem nas bases e nos solos de guitarra. Já a parte rítmica, com Chakal (Baixo) e Vinnie Rabello (Bateria) faz um belíssimo trabalho, dando peso e variedade as músicas. Para enriquecer ainda mais o resultado final, a banda contou com a participação de Rafael Agostino, responsável pelo Piano, Hammond, Moog e Mellotron, que reforçam ainda mais o clima lisérgico que surge em diversos momentos.

Dentre as faixas aqui presentes, todas de ótima qualidade, destaco “Bewitched”, “Mindlomania”, “Liars”, “Sadness” e “Wild Wolf”. Mas como disse, isso não significa que as demais também não sejam excelentes, sendo essas escolhas apenas uma questão de gosto pessoal.

Como já dito, a produção conseguiu não deixar a música do Silver Mammoth datada, além de ter acertado em cheio na escolha dos timbres e ficou a cargo de Rafael Agostino e Marcelo Izzo. Já a capa é um belo trabalho de João Duarte e conseguiu transpor para a imagem, a sonoridade que o ouvinte irá encontrar em Mindlomania.

Com sua mescla de Classic, Progressivo e Psychedelic, além de claro, um pezinho bem fincado naquilo que chamamos de Occult Rock, o Silver Mammoth nos entregou um dos melhores álbuns de 2015. Quem conseguirá parar esse mamute?

Resenha completa: Clique aqui



MINDLOMANIA:RESENHA NO SITE METAL SAMSARA – Nota 9,5/10,0


Um dos aspectos mais interessantes do atual revival do Rock anos 60/70 é a quantidade de bandas boas que surgem a cada dia. E no Brasil, digamos de passagem, temos excelentes bandas no estilo. Uma delas é o quarteto SILVER MAMMOTH, de São Paulo. E se eles já haviam feito um trabalho de primeira em “Pride Price”, de 2014, esperem para ouvirem “Mindlomania”, o novo deles que a dobradinha MS Metal Records/Voice Music colocou no mercado.

Antes de tudo, o estilo deles não mudou em absolutamente nada. Continuamos vendo uma banda com clara influência de monstros como LED ZEPPELIN, DEEP PURPLE e URIAH HEEP, completamente setentista e psicodélico, por vezes até mesmo intimista. Ótimas melodias adornam o trabalho musical do grupo, que evita cair em exageros técnicos. Aqui, a técnica nunca supera a expressão musical melodiosa e envolvente que eles sabem expressar com maestria.

Em termos de sonoridade, é o único ponto em que a modernidade entra em “Mindlomania”. A produção de Marcelo Izzo e Rafael Agostino ficou muito boa, mas evitando exageros, para soar mais orgânica e com certo clima “live”. E isso acrescenta valor ao trabalho do grupo, que não busca soar como uma banda do passado pela qualidade sonora, mas pela música em si. E a psicodelia da música do quarteto é claramente expressa pela arte, com uma capa ótima, trabalhada em vários tons de cores, fugindo do ponto comum que é o uso de preto e branco, com um encarte de primeira.

Em termos musicais, o quarteto arrasa. Sim, o SILVER MAMMOTH sabe exatamente o que quer de sua música, e como fazer para atingir aquilo que visam. Sem exagerar na técnica, temos uma riqueza nos arranjos de muito bom gosto, aliada a um trabalho de alto nível de cada um dos integrantes. E, além disso, Rafael Agostino ainda dá uma canja nos teclados, Hammond, Moog, Mellotron e piano, acentuando aquele sabor psicodélico/progressivo essencial para as músicas do grupo.

Cada música tem seu próprio valor, sua expressão, logo, é bom sentar e se preparar para ficar grudado.

Resenha completa em:Metal Samsara


SILVER MAMMOTH: NOVAMENTE É DESTAQUE NA ROADIE CREW MAGAZINE, A MAIOR REVISTA ROCK DO PAÍS.


SILVER MAMMOTH: DESTAQUE NA EDIÇÃO DE DEZEMBRO DA REVISTA ROADIE CREW


SILVER MAMMOTH: DESTAQUE NA REVISTA COMANDO ROCK


CONFIRA VIDEOCLIP OFICIAL DA MÚSICA BEWITCHED!



MINDLOMANIA: MÚSICA ESTÁ ENTRE AS MELHORES DO ANO NA RETROSPECTIVA NO WIKIMETAL


singleO fim de ano está próximo e hoje, um pouco antes da data, lançamos o nosso especial de Natal. Um episódio já tradicional no Wikimetal, aproveitamos as últimas semanas do ano para relembrar o que passamos, como foi 2015 para o Rock, e é claro, rolar todos os sons que marcaram um ano recheado de grandes lançamentos para o Metal.

Passando por vários estilos do nosso adorado Heavy Metal, trazemos nomes já lendários e mais recentes, e ainda bandas brasileiras, como a banda Silver Mammoth, para relembrar os orgulhos nacionais do ano. De Graveyard a Slayer, o nosso episódio especial de hoje é uma ótima escolha para embalar as festas de fim de ano!

FONTE: http://www.wikimetal.com.br/site/253-as-melhores-do-ano-2015/











CONFIRA CAPA DO NOVO SINGLE “BEWITCHED”


singleA banda paulista Silver Mammoth confirmou o lançamento do seu novo single, a ser extraído do seu vindouro terceiro álbum, para 20/12/2015.




















PROMOÇÃO SILVER MAMMOTH NO WIKIMETAL!


single

O Wikimetal vai presentear três WikiBrothers com o novo álbum do Silver Mammoth, “Mindlomania”! Para concorrer, mande um e-mail para info@wikimetal.com.br respondendo à pergunta:

- O que é uma “Mindlomania” pra você?

Visite a página oficial do Silver Mammoth no Facebook

A promoção fica aberta até o dia 16 de Novembro.

Confira o regulamento e como participar clicando aqui.












SILVER MAMMOTH NO WIKIMETAL!

silver-mammoth21-600x428Esta semana o vocalista do Silver Mammoth Marcelo Izzo veio nos falar sobre o novo álbum da banda, “Mindlomania”, que tem lançamento marcado para o dia 8 de Novembro.

Marcelo falou sobre a gravação do clipe da faixa título, das composições do novo álbum e de como é trabalhar com o seu filho na banda.

Clique aqui para visitar a página oficial do Silver Mammoth no Facebook.

Ouça o episódio completo aqui.

Fonte: http://www.wikimetal.com.br/site/silver-mammoth-2/











SILVER MAMMOTH LANÇA PRIMEIRO SINGLE DE NOVO ÁLBUM


“Mindlomania” é previsto para o dia 8 de Novembro

A banda paulista Silver Mammoth lançou hoje o clipe do primeiro single de seu terceiro álbum, “Mindlomania”. O novo trabalho, previsto para novembro, será lançado através da MS Metal Records com distribuição da Voice Music.

“Mindlomania” é o terceiro capítulo na carreira do Silver Mammoth e conta com dez canções, que transitam pelas mais diversas vertentes musicais, tendo como base o já característico Classic Rock do grupo. Programado para o dia 08 de novembro no país, “Mindlomania” possui todos os predicados para contagiar os fãs mais exigentes do Hard Rock, Progressive Rock, Psychedelic Rock e Heavy Metal.

O clipe do primeiro single do álbum, da faixa-título Mindlomania pode ser assistida aqui.

Fonte: Wikimetal



SILVER MAMMOTH: ENTREVISTA PARA O SITE FULLROCK


silverUm dos gêneros mais respeitados e cativantes do planeta é, sem sombra de dúvidas, o Classic Rock. Desde o início, o Black Sabbath ditava a nova ordem mundial, influenciando as mais diversas bandas mundo afora, que passaram naturalmente a criar uma nova cena, se se multiplicaria pelos quatro cantos do mundo! É dentro desta perspectiva que tenho o prazer de lhes apresentar o representante brasileiro do bom e velho Classic Rock: a Silver Mammoth. Fomos bater um papo com o seu carismático vocalista, Marcelo Izzo, para sabermos mais sobre este grande nome do cenário nacional, que está prestes a lançar o seu novo e mais audacioso álbum. Com vocês, Silver Mammoth…

01 – O Silver Mammoth é uma banda que já possui dois álbuns lançados, e agora está partindo para o terceiro lançamento em três anos consecutivos. Como funciona o processo de composição do grupo, e por qual razão optar por registrar tantos trabalhos em um curto espaço de tempo?

Marcelo Izzo – Primeiramente, quero agradecer a oportunidade de contar um pouquinho da trajetória da banda aos nossos fãs e seguidores. As composições, geralmente, eu tenho a ideia sobre o tema, e a partir daí evoluímos. Quanto aos trabalhos, não há uma essência ou obrigatoriedade. Se tenho uma ideia ou inspiração, aproveitamos.

02 – “Pride Price”, segundo álbum do grupo, vem sendo muito bem elogiado no Brasil, e ele realmente é uma obra prima para quem curte o bom e velho Classic Rock. Conte-nos como se deu o processo de composição deste trabalho, e o que ele representa na história de vocês?

Marcelo Izzo – Obrigado por suas palavras! “Pride Price” teve uma produção simples, compomos muito rápido, e gravamos mais rápido ainda, sem nos preocuparmos com detalhes minuciosos. Procuramos deixá-lo com a sonoridade mais simples possível, com características de um disco ao vivo. O que mais gosto neste trabalho, é de ter feito numa tacada só, o que tocamos, gravamos. Não houve aquele lance de precisa arrumar isto e aquilo, ou gravar novamente por que não ficou tão bom, ou tão “perfeito”! Acho que isso acabou sendo o grande lance. Ainda bem que as pessoas entenderam nossa proposta para este trabalho.

Matéria completa: Whiplash.net



LANÇAMENTO DO NOVO SINGLE PROGRAMADO PARA SETEMBRO/2015


singleA banda paulista Silver Mammoth confirmou o lançamento do seu novo single, primeiro a ser extraído do seu vindouro terceiro álbum, para o próximo mês de setembro.

O referido material contará com distribuição digital através da CD-Baby, para as maiores lojas do mercado mundial.

Em paralelo, o Silver Mammoth já está em estúdio finalizando o seu novo álbum, que tem previsão de lançamento para o próximo mês de outubro, através da MS Metal Records no Brasil, com distribuição da Voice Music.

Para mais informações sobre as atividades da banda e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Informações: http://msmetalagencybrasil.com/ptbr/artista-silver-mammoth

Fonte: http://www.roadiecrew.com/news.php?id=15917







SILVER MAMMOTH NA ROADIE CREW JUL/15

silver-RCA banda Silver Mammoth está na revista Roadie Crew do mes de julho de 2015.















NOVO ÁLBUM LANÇADO!

capaSilver Mammoth lança seu segundo álbum, intitulado “Pride Price”, em menos de 02 anos de sua criação. Esse álbum veio para consolidar a sua forte presença no cenário Nacional e também Internacional.

O quarteto que adota o Inglês em seu repertório, vivencia em seu som, vertentes do Hard Rock, Rock Progressivo e Psicodelia. Suas letras abordam o lado político e corrupto de grandes instituições, passando pelo mundo capitalista e hipócrita em que vivemos. As baladas não foram deixadas de lado, como já se ouviu no primeiro trabalho. Uma das maiores virtudes, e talvez o grande diferencial do Silver, é soar autêntico, de forma sincera e original.